Home / Investir Dinheiro / 7 motivos para você deixar a caderneta de poupança. BRASIL

7 motivos para você deixar a caderneta de poupança. BRASIL

Não estou dizendo que você deve correr e tirar todo seu dinheiro da Poupança e nem estou recomendando esse ou aquele investimento, apenas quero salientar e esclarecer determinados pontos importantes, ou motivos notáveis pelos quais se pode concluir que a caderneta de poupança não é a única nem a melhor opção para quem quer fazer seu dinheiro render no Brasil.

Motivo 1: Rendimento

Não é segredo e nem novidade que a Caderneta de Poupança rende pouco. Você saberia dizer quanto está deixando de ganhar por não escolher outras opções de investimento?

Com um rendimento aproximado de 7% ao ano, a Caderneta de Poupança  é facilmente superada por grande parte dos investimentos disponíveis no Brasil.

É claro que os investimentos mais arriscados podem gerar melhor retorno, mas mesmo considerando alternativas de renda fixa, com risco semelhante ao da Poupança, existem diversas opções mais atraentes, incluindo títulos privados e títulos públicos do Tesouro Nacional.

O Tesouro Selic, por exemplo, tem rendido pelo menos 20% a mais que a Caderneta de Poupança para períodos curtos de investimento, podendo chegar e ultrapassar 40% a mais que a Poupança para períodos mais longos como 5 anos.

E estamos falando de um título que o próprio site do Tesouro Direto classifica como conservador e que, por esse motivo, não é o que apresenta o melhor rendimento entre os títulos disponíveis.

É claro que estes percentuais são apenas projeções, ou seja, são possibilidades que dependem da variação da taxa de juros no período, mas a aproximação é suficiente para nos mostrar a diferença entre as duas opções de investimento.

Dependendo do que acontece na economia do país, alguns títulos do Tesouro podem render até 60% a mais que a Poupança nos mesmos 5 anos.

Como estamos falando de juros compostos, quanto mais tempo o dinheiro fica investido, maior é o impacto de uma pequena diferença na taxa de rendimento. Ou seja, no longo prazo, uma diferença que parece insignificante hoje, pode se tornar uma boa quantia em dinheiro após vários anos.

caderneta poupança Brasil

Motivo 2: Risco/Segurança

Assim como qualquer outro investimento, a Caderneta de Poupança está sujeita à diversos tipos de riscos, inclusive o risco de crédito, nos casos onde a instituição escolhida para os depósitos esteja passando por problemas ou até mesmo em falência.

A segurança do investidor nestes casos é o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma entidade privada, composta pela associação de várias instituições financeiras e que protege depósitos e determinados tipos de investimento, até um limite de R$250.000,00 (Duzentos e cinquenta mil reais) por instituição e por CPF.

Sendo assim, investimentos como CDB, RDB, LCI, LCA, LC, entre outros, tem a mesma garantia que as Cadernetas de Poupança, estando expostos à riscos semelhantes.

Portanto fique atento que a Poupança não está livre de riscos e nem tem mais segurança que todos os outros investimentos.

Motivo 3: Liquidez

A primeira vista a Poupança parece ter uma ótima liquidez, ou seja, a facilidade de transformar seu investimento em dinheiro que você pode utilizar livremente. Isto porque você não tem problemas para fazer retiradas no dia em que precisa, de forma similar ao que faz com sua conta corrente.

Entretanto, existe um detalhe importante que passa despercebido: a remuneração da poupança só ocorre na data de aniversário dos depósitos realizados. Se você retira o dinheiro antes dessa data, toda a remuneração do período é perdida.

Existem outros investimentos como alguns CDBs e o Tesouro Selic, nos quais a atualização é diária, o que significa que mesmo que você resolva resgatar o valor investido antes do prazo, você não perde os rendimentos recebidos até o momento. Lembrando que para valores inferiores à 30 dias, haverá cobrança de IOF, o que pode significar um rendimento menor do que o esperado.

Acima de 30 dias, a desvantagem da Poupança é ainda mais evidente.

Motivo 4: Simplicidade

Se você possui uma conta corrente em um banco, provavelmente também terá uma conta poupança integrada, disponível para depositar suas economias.

Se você não é cliente do banco, com um documento de identificação, CPF e comprovante de residência você deve ser capaz de abrir uma Caderneta de Poupança em qualquer agência, sem maiores problemas.

Dificilmente algo seria mais prático e cômodo, mas será que vale mesmo a pena aproveitar esta comodidade?

Criar uma conta em uma corretora para ter acesso a outros investimentos é mais simples do que se imagina. Basicamente, você vai precisar preencher seus dados em um formulário online e fornecer cópia digital dos mesmos documentos descritos acima.

Após o cadastro na corretora, a mesma lhe fornecerá dados para que você envie fundos, seja via Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou via transferência direta entre contas, se você tiver conta no mesmo banco que a corretora.

Através do site da corretora, você poderá contratar vários tipos de investimentos com poucos cliques de mouse, de forma semelhante ao que faria no site do banco onde você tem conta.

A diferença é que a corretora vai mostrar produtos de vários bancos, inclusive dos bancos menores, que oferecem taxas mais interessantes que os grandes bancos.

Além disso, as corretoras tendem a cobrar taxas de administração mais baratas que os bancos, o que significa um resultado ainda melhor para os investimentos.

Sendo assim, fazer o cadastro em uma corretora, enviar fundos para serem investidos e escolher opções de investimentos em um site web, são atividades que você não deve ter dificuldades. E se tiver um pouco, a própria corretora certamente prestará toda a assistência necessária, afinal é do total interesse deles que você tenha a melhor experiência como cliente.

Motivo 5: Não protege contra inflação

Se os preços dos produtos e serviços aumentam, o seu dinheiro perde poder de compra, ou seja, uma determinada quantia em dinheiro hoje, pode não ser suficiente para pagar por um produto após um mês e a chance é menor ainda após um ano.

É necessário entender e medir esta perda, descontando a inflação do redimento obtido, seja na Poupança ou outro investimento qualquer.

Um dos índices de inflação que você pode usar é o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), o qual pode ser encontrado no site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na página sobre Índices de Preços ao Consumidor.

Nesta página, procure a tabela Série Histórica IPCA, nela você encontrará a variação para vários períodos como: mensal, trimestral, semestral, últimos 12 meses e do ano corrente.

Considerando os seguintes valores de exemplo:

Rendimento da poupança para um período de 12 meses: 6,66%

Inflação no mesmo período: 8,89%

Usando a seguinte fórmula:

Rendimento real = ( (1 + rendimento da poupança) / (1 + inflação do período) ) – 1

Teremos:

Rendimento real: ( (1 + 0,0666) / (1+ 0,0889) ) -1 = -0,0205

O rendimento real foi de -2,05%, ou seja, ao invés de ganhar dinheiro você estaria perdendo. Isso acontece pelo fato do rendimento da Poupança ser inferior às perdas provocadas pela inflação.

Para se proteger da inflação, você precisa encontrar investimentos com a rentabilidade maior que a perda causada por ela.

Alguns  investimentos tem uma parte da rentabilidade atrelada justamente à um dos índices de inflação, como por exemplo o título Tesouro IPCA+, que paga a variação da inflação medida pelo IPCA no período, mais uma taxa de juros contratada no momento da compra do título. Se você levar o título até o vencimento, o seu dinheiro estará teoricamente protegido da inflação e você ainda receberá uma quantia adicional conforme a taxa contratada.

Existem outros investimentos em forma de títulos privados com rendimento atrelado à inflação. O ideal é estudar e escolher a melhor opção disponível na corretora e evitar investimentos que não conseguem superar as perdas da variação de preços.

Motivo 6: Impostos

A Poupança é isenta de IOF e Imposto de Renda (IR), mas existem outros investimentos em que você também não paga IR, pagando apenas IOF caso retire o dinheiro antes de 30 dias. Você acha que esta isenção de impostos faz com que a Poupança seja mais interessante que os investimentos com cobrança de impostos?

Investimentos como  LCI, LCA, Debêntures de infraestrutura são isentos de IR e possuem rentabilidade superior à da Poupança. Mas é importante considerar que estes investimentos tem um perfil de médio e longo prazo, ou seja, você precisa deixar o dinheiro investido por mais tempo, sem poder fazer uso do mesmo durante o período de investimento.

Entretanto, algumas opções com melhor liquidez, mesmo após descontar o IR com a maior alíquota possível (22,5% para períodos menores que 180 dias), continuam com a rentabilidade melhor que a da Poupança.

Você pode confirmar isso fazendo uma simulação na opção Calcule a sua rentabilidade no site do Tesouro Direto para um mês com o título Tesouro Selic e comparar com o resultado de aplicar a correção da Poupança na mesma quantia, usando a Calculadora do Cidadão.

Embora esta característica seja vendida como uma grande vantagem da Poupança, você pode ver claramente que o impacto desta isenção de impostos não é tão grande no resultado final.

Motivo 7: Diversificação

A Caderneta de Poupança tem sido usada como um investimento genérico. As pessoas depositam tanto dinheiro para usar em breve quanto dinheiro que vai ficar lá por muito mais tempo, como meses, anos e até décadas.

Para o cálculo da remuneração da Poupança, não importa quanto tempo o dinheiro vai permanecer investido, a regra aplicada será a mesma.

Existem no mercado diversas opções de investimentos, onde o tempo de permanência está diretamente associado à remuneração oferecida. Quanto maior o tempo de investimento, melhores condições de rendimento você poderá obter.

Então, se você tem dinheiro guardado com diferentes objetivos, alguns para curto e outros para longo prazo, o ideal é procurar investimentos compatíveis com estes objetivos em termos de prazo.

Se você tem um dinheiro que tem certeza de que não vai precisar usar por um bom tempo, não faz sentido deixar em um investimento que rende pouco, apenas para ter maior liquidez.

Revisando

  1. A Poupança rende pouco.
  2. Não é mais segura que outros investimentos.
  3. Você pode tirar o dinheiro quando quer, mas se for antes do aniversário, perde o rendimento.
  4. Abrir conta em uma corretora é quase tão fácil quanto abrir uma conta poupança em um banco.
  5. Não protege contra as perdas da inflação e em alguns momentos rende menos que estas perdas.
  6. Mesmo com isenção de impostos, perde em rendimento para outros investimentos sem isenção.
  7. Não permite otimizar rendimentos para diferentes prazos de investimento.

A mensagem final é que a Caderneta de Poupança não é a única opção existente e é muito importante conhecer, estudar e utilizar outros produtos de investimento para melhorar o rendimento das suas economias.

Veja Também

o que é o tesouro direto?

O que é Tesouro Direto e como funciona? BRASIL

O que é Tesouro Direto? O Tesouro Direto é um programa do governo brasileiro, mais ...