Home / Investir Dinheiro / O que é Tesouro Direto e como funciona? BRASIL

O que é Tesouro Direto e como funciona? BRASIL

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do governo brasileiro, mais especificamente do Tesouro Nacional, para que pessoas físicas possam comprar (e vender de volta para o tesouro) títulos públicos federais. O programa tem a parceria da bolsa de valores BM&F Bovespa para a realização das operações.

De forma simplificada, você empresta dinheiro para o governo e em troca recebe juros de acordo com as condições estabelecidas para o título adquirido.

Qual o risco de investir em Tesouro Direto ?

Risco de crédito

Diferente da Caderneta de Poupança e de títulos privados como o CDB, que são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), os títulos públicos são garantidos pelo Tesouro Nacional.

Na prática, isso significa que ao invés de estar sujeito ao risco de o banco ter problemas para pagar as dívidas, você estará sujeito ao risco do país não honrar com seus compromissos.

Um calote do Tesouro Nacional é algo bem mais difícil de acontecer, o que faz do Tesouro Direto um dos investimentos mais seguros entre os disponíveis no Brasil.

Risco de mercado

Se você comprar um título e o mantiver até o vencimento, receberá o seu capital e a remuneração acertada no momento da compra e dificilmente terá algum problema. Mas se precisar vender o título antes do vencimento, você deve considerar que o Tesouro vai pagar o valor atual de mercado do título, valor esse que pode variar bastante de acordo com as condições da economia do país.

O problema é que existe a possibilidade de o valor atual de mercado estar abaixo do valor que você pagou pelo título, o que faria você vender o título com prejuízo.

Também pode acontecer de o valor atual estar muito acima do valor de compra, o que pode ser uma oportunidade de vender o título com um lucro maior do que o que você teria se o levasse até o vencimento.

Esta possibilidade faz com que alguns investidores arrisquem comprar títulos com prazos mais longos e tentem vendê-los em condições favoráveis bem antes do vencimento. É uma prática mais agressiva, com maior risco e por isso pode trazer resultados mais expressivos.

Lembrando que isso só acontece se você vender o título antes do vencimento. Se você esperar até o título vencer, todas as condições negociadas no momento da compra estão garantidas pelo Tesouro.

Além disso, nem todos os títulos estão sujeitos a estas variações bruscas de preço. Existem títulos que você pode vender de forma antecipada em qualquer momento e sem prejuízo, como veremos adiante neste artigo.

o que é o tesouro direto?

Como faço para investir?

Investir no Tesouro Direto não é complicado, veja um resumo dos passos iniciais para começar:

  1. Crie uma conta em uma corretora ou outra instituição financeira habilitada, a qual será seu agente de custódia.
  2. Envie dinheiro para a corretora através de DOC, TED ou transferência direta, se tiver conta no mesmo banco.
  3. Solicite que a corretora realize seu cadastro no Tesouro Direto.
  4. Você vai receber um e-mail da BM&F Bovespa com uma senha provisória para acessar a área exclusiva do site do Tesouro Direto. O seu usuário é o seu CPF. e você deve alterar a senha temporária por uma de sua escolha em até 30 dias.
  5. Faça o login na área exclusiva do site do Tesouro Direto, escolha um título, informe a quantidade desejada em múltiplos ou fração do título e efetue a compra.
  6. Nos próximos dias você receberá uma mensagem do Tesouro e BM&F Bovespa, confirmando a liquidação da compra junto ao seu agente de custódia.

As instituições financeiras habilitadas a serem agentes de custódia podem ser corretoras e bancos.  É bem possível que você possa usar como agente de custódia o banco em que você tem conta, mas fique atento às taxas administrativas cobradas pela instituição que for escolher.

No site do Tesouro Direto você encontra uma relação das instituições habilitadas, com suas respectivas taxas de administração.

Quanto eu preciso para começar a investir?

Esta é sem dúvida uma das grandes vantagens do Tesouro Direto em relação a outros investimentos. Você pode começar a investir a partir de R$30,00 (Trinta Reais) !

Na verdade, você pode comprar múltiplos de 1% de qualquer título, desde que o valor correspondente seja no mínimo R$30,00.

O grande diferencial é que não importa se você vai comprar 1%, 50%, 1 ou 10 unidades do título, as condições de remuneração serão as mesmas. Se você fizer uma pesquisa nos títulos privados, como o CDB, LCI, LCA, vai perceber que você precisa de um bom capital para conseguir as melhores taxas.

O Tesouro Direto permite que pessoas que estão começando a investir e que tem pouco capital, possam conseguir boas taxas para seus investimentos.

Qual título comprar?

Títulos Prefixados

Estes talvez sejam os títulos mais fáceis de entender. Você compra o título pelo valor atual de mercado e recebe o valor bruto de R$1000,00 (Mil Reais) por ele no vencimento.

Exemplo:
No dia 06/10/2015, o título Tesouro Prefixado 2018 (LTN) estava sendo ofertado com uma taxa de 15,42% ao ano. Se quisesse comprar uma unidade do título, você pagaria R$727,51 e no vencimento do mesmo, em 01/01/2018, receberia R$1000,00 menos taxas e imposto de renda.

Títulos Pós-fixados

O rendimento é atrelado a um indexador. Atualmente o Tesouro Direto possui títulos atualizados pela taxa Selic e pela inflação (IPCA).

Os títulos Tesouro IPCA+ oferecem o que chamamos de rentabilidade real, pois pagam a variação da inflação mais uma taxa de juros prefixada. O seu capital fica protegido contra a perda de poder de compra pelo aumento dos preços se você levar o título até o vencimento.

Como estes títulos tem prazos mais longos de vencimento, são mais adequados para quem está poupando para objetivos de longo prazo e que provavelmente não precisarão vender os títulos antes do vencimento.

O título Tesouro Selic, como o próprio nome diz, tem sua rentabilidade atrelada à taxa de juros básica do país, a taxa Selic.

Apesar de ter uma data de vencimento, a atualização do valor do título é feita diariamente, o que significa que você pode vender o título quando precisar, sem se preocupar com condições ideais, como nos outros títulos.

Essa característica faz do Tesouro Selic o título ideal para quem precisa ter a possibilidade de retirar o dinheiro a qualquer momento no curto prazo.

Um detalhe que não pode ser desconsiderado é que existe cobrança de IOF se você vender o título antes de completar 30 dias da compra. Como o valor deste imposto é bem alto para poucos dias, o ideal é que você permaneça pelo menos 30 dias com o título antes de vendê-lo.

Títulos com cupom de juros semestrais

Tanto nos prefixados quantos nos pós-fixados você verá opções que pagam juros semestrais. A diferença é que ao invés de receber a remuneração de uma vez no final do contrato, você receberá parciais de seis em seis meses.

Se você já possui um bom montante acumulado e deseja fazer uso dos juros como se fosse um salário, estes títulos podem ser uma boa opção. Mas se este não é o caso ainda, você deve considerar que ao receber os juros de forma antecipada, pode ser que você pague mais imposto, pois a alíquota aplicada será de acordo com o tempo decorrido até o recebimento do cupom de juros, que é o rendimento parcial recebido semestralmente.

Quanto vou pagar de taxas e impostos?

Imposto de Renda

O pagamento do Imposto de Renda, segue uma tabela regressiva, de acordo com o tempo do investimento:

Até 180 dias Até 360 dias Até 720 dias Acima de 720 dias
22,5% 20% 17,5% 15%

A alíquota correspondente ao período será aplicada sobre os rendimentos nas vendas antecipadas, nos vencimentos de títulos e no pagamento de cupons de juros (no caso dos títulos que pagam juros semestrais).

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Este imposto incide de forma regressiva conforme o tempo do investimento, começando com 97% sobre o rendimento para 1 dia e indo até 0% para 30 dias.

Taxas

Além dos impostos, existem mais duas taxas:

  • Taxa da BM&F Bovespa de 0,3% ao ano sobre o valor do título.
  • Taxa de administração do agente de custódia. Cada corretora cobra valores diferentes e no próprio site do Tesouro Direto você encontra uma lista de instituições habilitadas e os valores de taxas praticados.

E se eu precisar do dinheiro?

Uma das mudanças mais importantes realizadas recentemente no Tesouro Direto foi o fato dele passar a fazer recompra dos títulos diariamente.

Antes dessa mudança, a recompra de títulos pelo governo ocorria apenas às quartas-feiras, mas agora você pode vender de volta seus títulos durante a semana, todos os dias a partir das 18 horas até 5 da manhã do dia seguinte e em qualquer horário nos finais de semana.

O Tesouro repassa o valor da recompra no dia útil seguinte para o agente de custódia, que vai fazer o recolhimento dos impostos e disponibilizar o dinheiro para você na sua conta interna do sistema dele.

Cada agente de custódia tem um prazo diferente de repasse do dinheiro para os clientes. Você pode encontrar esta informação na mesma página onde consulta as taxas administrativas.

Quando o agente disponibilizar o dinheiro, você poderá solicitar a transferência para sua conta corrente no seu banco ou realizar outros investimentos.

Conclusão final:

O Tesouro Direto é uma ótima opção para quem está começando a investir pelas seguintes razões:

  • Baixo risco, garantido pelo Tesouro Nacional.
  • É versátil, pois possui opções para diversos perfis de investidor.
  • É democrático, por dar acesso à taxas competitivas mesmo para quem tem pouco capital.

Veja Também

caderneta poupança Brasil

7 motivos para você deixar a caderneta de poupança. BRASIL

Não estou dizendo que você deve correr e tirar todo seu dinheiro da Poupança e ...