Home / Investir Dinheiro / Poupança complementar para reforma como construir

Poupança complementar para reforma como construir

Com o actual cenário de crise e com as medidas cada vez mais restritivas do calculo das pensões e reformas por aposentação, o valor expectável a receber no futuro pode e vai certamente sofrer agravamentos consideráveis, mas como construir uma poupança complementar para reforma? Eis a questão, e será esse mesmo o assunto deste artigo.

Fará sentido construir uma reforma complementar? A resposta é muito óbvia, a segurança social, funciona de uma forma muito simples, as pessoas que trabalham, descontam mensalmente um valor para a segurança social, a TSU, que permite de certo modo assegurar, o pagamento de pensões às pessoas que já estão aposentados. O problema da Segurança Social de hoje e previsivelmente de amanhã é simples e previsível, cada vez há menos pessoas a trabalhar, o agravar do desemprego aliado à imigração, causa naturalmente défices nas contas desta entidade e de outros sistemas de segurança social, não só em Portugal mas em grande parte dos Países europeus, assim, a resposta é mesmo, sim compensa e devemos pensar e ir construindo um pé de meia para complementar o valor a receber de reforma por aposentação.

Como construir Poupança complementar para reforma

Como construir Poupança complementar para reforma?

Não é fácil abordar esta questão, é normal que pessoas com vencimentos mais baixos, tenham muita dificuldade em poupar dinheiro no dia a dia, quanto mais, para complemento de reforma, certo, certo, é que se o poder fazer, não pense duas vezes.  Se pensar numa óptica futurista e encarar que as condições e qualidade de vida tendem a fazer com que o tempo que nos vivemos vá aumentando, é fácil perceber que quando chegarmos à reforma, os valores a receber não vão chegar para ter uma vida pacifica, e tranquila como é expectável que assim queiramos. A única forma de complementar a sua reforma, é retirando do seu orçamento mensal uma parte, que vai afectar especificamente a esse fim, seja 1%, 2% ou até mesmo 10%. Claro que se optar por uma solução deste género tem de encarar esse valor como sagrado, a soma desses valores devem permanecer intocáveis até que não haja outro recurso a utilizar em caso de emergência.

Produtos adequados para depositar a sua poupança complementar para a reforma

Caso pondere construir uma forma de complementar a sua reforma, e se ainda trabalha, saiba que existem várias opções para depositar/investir o valor que pretende poupar, contudo, deve, olhar para cada uma delas com toda a atenção possível. Alguns dos aspectos que deve ter em conta, para ponderar está situação:

  • Idade Actual
  • Presumível idade de aposentação/reforma
  • Riscos que pretende correr
  • Conhecimentos dos Produtos Financeiros comercializados
  • Prazo da/s aplicações

Os factores acima mencionados são fundamentais e determinantes, para aferir qual ou quais os produtos bancários que lhe permitem obter mais vantagens em função quer da sua idade, quer do prazo que vai necessitar para atingir os seus objectivos.

Quais os Produtos mais adequados para construir uma poupança que complemente a sua reforma?

Não costumamos recomendar nenhum produto que represente riscos elevados (e neste artigo seguimos a mesma lógica).

  • PPR
  • Depósitos a Prazo
  • Seguros

PPR

Os PPR´s foram durante algum tempo um dos produtos mais elegíveis por quem procurava construir a sua própria reforma, com  a perda de benefícios fiscais, gerou-se a ideia errada, de que este produto teria perdido a sua atractividade. No fundo a dinâmica e lógica de um PPR (grande parte deles) é muito parecida à da SS, vai se depositando dinheiro mensalmente, normalmente um valor fixo, que na data de aposentação, fica disponível mediante a opção de entrega total do valor aforado adicionado dos juros que o capital foi rendendo, ou então mediante o pagamento de um valor convencionado, sendo esta opção tomada pelo titular do PPR. Como é óbvio quem subscreve um PPR deve saber o que está a fazer, logo deve perceber todas as suas características, lendo e analisando muito bem a ficha do produto, atenção que alguns PPR´s têm remunerações de capitais entre outros riscos que deve conhecer e analisar, porem existem PPR´S comercializados cujo risco é mínimo. Consulte a DECO, aceda à pagina dos bancos e seguradoras, e não deixe de efectuar comparações. Este produto pode não ser o mais adequado para pessoas mais novas dada a obrigatoriedade de permanência de capital.

Depósitos a Prazo

É talvez a forma mais consensual de ir construindo um fundo de compensação de reforma, por permitir maior facilidade na mobilização de capital, por ter ofertas variadas no mercado, e sem grandes riscos e por permitir gerir a sua sitaução de forma financeira de modo mais eficaz.

Seguros de Capitalização

À semelhança do PPR os seguros de capitalização podem ser atractivos para quem se pretendem reformar num prazo de 5 a 10 anos as rentabilidades podem ser muito atractivas, contudo convém perceber bem a tipologia de produto, riscos associados e analisar muito bem as fichas normalizadas de seguro para seguro.

Conclusão:

Foram abordadas algumas soluções para construir um fundo complementar à sua reforma, para muitas pessoas é difícil conseguir sequer poupar, se no seu caso, a sua capacidade e esforço financeiro ainda permite que possa poupar para complementar a sua reforma, analise minuciosamente as ofertas que o mercado tem para lhe oferecer, analise as ofertas que os bancos apresentam com muita atenção, e evite correr riscos. Não aconselhamos qualquer produto financeiro, apenas pretendemos simplificar e ajudar a compreender quais as vantagens e desvantagens de cada um. O aconselhamento financeiro por entidades com competências para tal é sem duvida a melhor forma de complementar a visão que lhe proporcionamos neste artigo.

Veja Também

o que é o tesouro direto?

O que é Tesouro Direto e como funciona? BRASIL

O que é Tesouro Direto? O Tesouro Direto é um programa do governo brasileiro, mais ...