Home / Como Escolher / Seguro Automóvel: a escolha certa.

Seguro Automóvel: a escolha certa.

Como escolher o Seguro Automóvel certo e poupar dinheiro!

Comprado o automóvel, a primeira coisa a fazer não é uma viagem. Não. A primeira coisa a fazer, depois de se adquirir um

automóvel, é fazer o seguro. Obrigatório e de carácter anual, o seguro automóvel é indispensável na compra e manutenção de um veículo. Mas como todos os condutores são diferentes, existem, a pensar nisso, seguros com vários componentes que se adaptam a todo o tipo de necessidades e também de carteiras.

Antes de começar a calcular, lembre-se das condicionantes que vão definir o valor do seu seguro: a categoria do veículo, a cidade onde circula (quanto mais movimentada for e com maior densidade populacional, mais caro fica o seguro, uma vez que a probabilidade de acidente é maior), o histórico de acidentes (um cliente sem acidentes tem menos agravamento do que um cliente com um registo de acidentes aberto), a cilindrada do veículo e o preço do mesmo, a idade do condutor (abaixo dos 25 anos, sofre sempre uma penalização), a data da carta de condução (se tiver sido obtida há menos de 2 anos o seguro fica mais caro e este é o motivo pelo qual alguns jovens têm o seguro automóvel em nome dos pais – o que também implica que o carro esteja em nome dos mesmos) ou mesmo a relação peso-potência. Os fins de utilização do veículo também são sempre considerados e equiparados ao seu fim: para fins de empresa ou pessoais.

Seguro Automóvel

Para o seguro automóvel, as opções estendem-se deste o seguro base à abrangência quase total de coberturas, entre acidentes ou riscos catastróficos. Mas afinal, o que cobre cada uma destas opções? Ora então, vamos lá analisar: o seguro base corresponde à responsabilidade civil obrigatório, que se comporta na dimensão de acidente em que terceiros ficam lesados.

Por isso mesmo, para que andemos na estrada, temos de segurar não só a nossa viatura e a nossa vida, mas também a dos outros. Para além disto, o seguro base também pode comportar protecção jurídica., responsabilidade civil facultativa, acidentes do condutor ou do segurado e, ainda, assistência em viagem.

O tipo de seguro deve ser adequado ao tipo de perfil do cliente/condutor, mas também ao tipo de carro: por exemplo, se tiver um carro antigo com baixo valor comercial, ter um seguro automóvel com muitos extras e, por isso, com uma anuidade mais elevada, não lhe compensa em nada.

Quando se começa a falar em extras, a assistência em viagem, caso a seguradora não o classifique dentro do serviço básico, é uma das mais importantes segmentações a reter. Porquê? Porque tem um custo anual reduzido e porque lhe fornece garantias de assistência em caso de acidente, de avaria ou até mesmo de doença do estrangeiro.

Dentro dos extras existem muitos parâmetros que podem ser alvo de cobertura: quebra de vidros, valor em novo, furto/roubo, incêndio, explosão, choque, grandes danos (em choque, colisão ou capotamento), riscos catastróficos, protecção às compras, avaria mecânica, paralisação do veículo, veículo de substituição, actos maliciosos, despesas por privação temporária da carta de condução, vidros partidos, actos de vandalismo ou fenómenos da natureza.

Parâmetros a ter em conta ao escolher um seguro automóvel:

  1. Para poupar dirija-se a um mediador: o valor poupado pode oscilar entre os 20% e os 25% uma vez que as mediadoras não têm o mesmo tipo de encargos que os balcões oficiais e as seguradoras;
  2. Opte pelo pagamento anual do seguro: a opção mensal ou trimestral sai-lhe sempre mais cara, no fim de contas feitas;
  3. Quando lhe acenarem com um panfleto que promete um “seguro contra todos os riscos” não leve isto à letra: nenhum seguro é contra todos os riscos e desde 2012 que este tipo de publicidade foi proibida por enganar clientes e não ser verídica;
  4. Antes de fazer o seguro faça a simulação em diferentes sites: todas as companhias de seguro o permitem. Umas pedem mais informação do que outras, mas é sempre aconselhado a comparação de produtos. Seja o seu próprio mediador e faça a escolha mais adequada e barata;
  5. Opte por um seguro com linguagem simplificada para que, na hora de recorrer à companhia, não veja as suas certezas trocadas por pontos de interrogação;
  6. Evite ser seduzido por extras que só representam encargos, uma vez que são quase inúteis;
  7. Em caso de ser mulher informe-se: há companhias que têm serviços especiais para esta população;
  8. Esteja atento às promoções: existem alturas do ano em que as companhias fazem descontos anuais ou que oferecem senhas de combustível. Se levar um amigo que também faça um seguro, também lhe é feito um desconto (em algumas companhias).

Aqui no Fórum dinheiro gostamos de ter em conta os pormenores que são fundamentais para poupar dinheiro!

Veja Também

como escolher imóvel

Cuidados importantes ao escolher Imóveis para comprar

Muitas das vezes, com a ânsia de comprar casa, nem reparamos em pequenos pormenores que ...