Home / Como Escolher / Seguro de vida: saiba como escolher!

Seguro de vida: saiba como escolher!

Numa altura em que os créditos de habitação se somam nas contas dos cidadãos comuns, surge um novo agregado a esta factura, trata-se do seguro de vida. Para todos aqueles que pediram dinheiro emprestado ao banco para pagar a casa, é obrigatório que façam um seguro de vida.

Mesmo quem não tem nenhum crédito à habitação, está apto a fazê-los e, quando questionados sobre a validade do mesmo, a resposta é sempre positiva e vale sempre a pena ter um seguro deste género.

Vamos abordar aqui algumas dicas de como escolher um seguro de vida.

Pensar no futuro é uma das primeiras condições para se fazer o seguro de vida. Na altura de subscrever um seguro de vida deve, por isso, ter em conta alguns cuidados e ter atenção a várias situações:

  1. Que tipo de cobertura pretende fazer? Os seguros de vida variam e, com essas oscilações, as anuidades também sofrem mudanças. A cobertura do seguro de vida pode ser reduzida ou muito ampla, mediante a escolha do consumidor. O mais básico é o risco de morte por causas naturais. Lembre-se de que nunca o terminus da vida por consciência do indivíduo dará, aos que ficam, nenhumas garantias financeiras, visto que nesse caso o seguro fica completamente excluído de quaisquer pagamentos. Depois do risco de morte, que é a base de qualquer seguro de vida, existem outros complementos: invalidez absoluta e definitiva; invalidez absoluta e permanente; invalidez total e permanente; morte por acidente; morte por acidente de circulação; doenças graves; subsídio diário de hospitalização; morte ou invalidez absoluta e permanente por acidente; morte ou invalidez absoluta e permanente por acidente de circulação. Ao escolher alguns destes complementos, vê-se obrigado a escolher aos pares (Exemplo: quase sempre, ao escolher o complemento “Morte por acidente” é obrigado a escolher também “Morte por acidente de circulação”). Deve ter em conta as necessidades familiares, o quadro clínico da sua família e as condições de vida.
  2. Com que idade vai fazer o seguro de vida? Antes de mais, é importante relembrar que há limites de idade para fazer o seguro de vida. A idade mínima é aos 18 anos e a idade máxima oscila consoante o tipo de seguro que vai fazer, bem como o tipo de agência na qual o vai realizar:

Cobertura base: nas agências portuguesas, a idade máxima para realizar este tipo de seguro, ronda a casa dos 79/80 anos

Coberturas complementares: a idade máxima, para este casa, varia entre os 60 e os 65

Excepções: para o caso de doenças graves a casa de superior a 55 anos começa a ser vista em algumas agências, que referem esta excepção.

Para que estas situações sejam averiguadas, a instituição onde é feito o seguro de vida tem sempre de avaliar a condição clínica do cliente e, para isso, é realizado um questionário.

  1. Quanto tenho de pagar pelo seguro? Esse valor é variável, de acordo com o montante que foi investido ou acordado com a companhia. É um valor que pode ser pago de forma mensal, trimestral, bienal ou anual. O preço do seguro varia consoante a idade do cliente, o tipo de quadro clínico e o tipo de complementos escolhidos.
  2. Quais sãos os parâmetros a que devo ter atenção? Um deles é a escolha de um beneficiário. Caso o seguro tenha de ser accionado e haja alguém para o receber, o cliente que faz o seguro deve ter um beneficiário. Outro dos parâmetros é a alteração do estado de saúde. Caso o cliente sofra uma mudança crucial no seu estado de saúde que altere os parâmetros iniciais do seguro deve informar a companhia.
  3. Posso anular o seguro de vida? Sim, desde que tenha cumprido pelo menos um ano de contracto, o seguro pode ser cessado e o cliente pode fazer um resgate da quantia do mesmo.
  4. Quais sãos os parâmetros a que devo ter atenção? Um deles é a escolha de um beneficiário. Caso o seguro tenha de ser accionado e haja alguém para o receber, o cliente que faz o seguro deve ter um beneficiário. Outro dos parâmetros é a alteração do estado de saúde. Caso o cliente sofra uma mudança crucial no seu estado de saúde que altere os parâmetros iniciais do seguro deve informar a companhia.
  5. Posso anular o seguro de vida? Sim, desde que tenha cumprido pelo menos um ano de contracto, o seguro pode ser cessado e o cliente pode fazer um resgate da quantia do mesmo.

Cuidados a ter na escolha do seguro de vida: esteja sempre atento às pequenas excepções. Cada entidade seguradora costuma ter as suas especificidades e, por vezes, excluem-se parâmetros fundamentais ou adequados a determinados perfis.

Serve de exemplo uma viagem em regime de expedição: quase sempre este tipo de trilho, no caso de haver um acidente, é excluído do seguro, tal como os desportos radicais e outros exemplos. Para isso, o cliente deve ler atentamente todas as condições do contracto para determinar a melhor forma de realizar um seguro de vida e de optar pela companhia que mais o agrada.

Veja Também

relva artificial

Relva artificial (sintética) ou natural? Qual escolher se temos animais de estimação?

Uma das maiores preocupações de quem tem um bichinho de estimação é a criação de ...